Mais estado social…

Perante a medida altamente questionável dos utentes das autoestradas SCUT passarem a pagar portagem – se as autoestradas tinham o valor económico para nós as construímos, porque é que estamos a exigir que paguem?; se não têm o valor económico porque merda as construímos? – acrescentamos a notícias de que a medida é válida para todos os portugueses desde que não trabalhem no no governo, na presidência da república, na GNR, no tribunal constitucional, etc… Resumindo, o estado social no seu melhor a mostrar que anda aqui para ajudar os necessitados…

Anúncios

Sobre Tonibler

Um vintém será sempre um vintém, um cretino será sempre um cretino
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

8 respostas a Mais estado social…

  1. Às vezes ao ler os seus textos fico com a forte convicção que estou a assistir àquele “ganda pograma” da RTPN “Plano Inclinado” e que estou a ouvir o Medina Carreira ou qualquer das outras bestas que lá vão, Não é tanto por aquilo que diz mas a forma como o diz, porque em relação ás SCUT’s estou completamente de acordo e sou a favor do tão famoso chavão “utilizador pagador” fazendo TALVEZ uma ressalva em relação ao interior mais profundo, o que não entendo é o que tem a ver SCUT’s com estado social, eu acho que o camarada confunde um bocado o “cheiro da água com a água de cheiro”.

    Enfin, les choses de la sémantique.

  2. Tonibler diz:

    Elisiário,

    Se é a favor do utilizador pagador, se acha que não tem nada a ver com o estado social, quer-me explicar porque porra a fez com o meu dinheiro?????

  3. Pois, aqui está uma tirada à Medina Carreira, o meu dinheiro.

    Se não quer pagar impostos para viver numa sociedade minimamente estruturada tem bom caminho, Guiné, eles até estão a precisar de GENTE. Na sua maneira de ver apagam-se fogos com o seu dinheiro, prendem-se ladrões e assassinos com o seu dinheiro, operam-se pessoas com o seu dinheiro, etc. etc. etc. tudo se faz com o seu dinheiro, só que isto não tem nada a ver com “estado social” Se quer viver minimamente com segurança, com uma rede viária minimamente decente, se quer hospitais, escolas, policia, bombeiros, tem de pagar impostos.
    O Estado Social só diz respeito aos mais elementares direitos do cidadão, porque pela sua maneira de ver, tão à Medina Carreira, ainda hoje andávamos de carroça puxada a burro e em caminhos abertos pelos rodados.

  4. Tonibler diz:

    Pois, mas não deixa de ser o meu dinheiro. A sua “solução” enterrou este país ao ponto de termos quase 11% de desempregados, uma dívida pública real de mais de 100% do PIB e estamos em regressão económica há 10 anos. Quer-me explicar o que é que os elementares direitos tem a ver com SCUTs pagas com o meu dinheiro e com a quantidade de chulos que vivem à conta dele??? Se eu também disser que comprar o meu iate é um investimento do estado, o camarada também puxa pelos direitos elementares???

  5. como o Elisiário menciona as SCUTs poderiam ser uma forma de integração e apoio das regiões mais desfavorecidas. O problema aparece quando o António SCUTMAN Guterres e seus descendentes passaram a utilizar este mecanismo não para favorecer aquelas regiões mas sim os seus amigos dos contentores.
    Isto não tem nada que ver com Estado Social, isto esta relacionado com o perfil Ricardo Rodrigues com os seus gravadores…apenas noutra escala!

  6. Cá está, até na apresentação dos números, Medina Carreira não diria melhor, que eu saiba a divida publica Portuguesa ainda está na casa dos 70%, mas isto sou eu que tenho a mania de ler coisas esquisitas e não ligar aquilo que o Medina Carreira diz.
    Eu nas SCUT´s posso andar, quer sejam pagas pelo utilizador quer sejam pagas pelo OE, no seu iate só se me convidar.

    No entanto isto é conversa da treta, porque o que interessa é a sua definição de Estado Social.

    O Guterres era bom rapaz, mas só, não tinha jeito nenhum para a politica, era assim mais ou menos como o Cavaco.

  7. Tonibler diz:

    Nos 70% por cima da mesa. Porque as dívidas das EP’s estão todas por debaixo da mesa.

    Se pagar também o deixo andar no meu iate. Mas, fazendo a coisa melhor, eu construo uma SCUT, o camarada paga pela SCUT e pelo meu iate e, quando quiser andar na SCUT, aplicamos o princípio do utilizador pagador. Desta forma, ficamos todos a ganhar. Certo? Se o iate for meu, eu também passo a achar as contas do Medina Carreira uma merda…Aliás, viva um estado social de 42 pés!

  8. Tonibler diz:

    Já agora, se o princípio do utilizador pagador é para ser aplicado, porque é que é o estado que faz a estrada? Não era a estrada economicamente importante? Se era, porque é que queremos que seja paga? Se não era, porque é que o estado a construiu? Ah, o iate…vamos concentrar-nos na ideia de iate!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s