Se o ridículo matasse…

A existência de critérios duplos para os mesmos erros – a dívida externa dos EUA ultrapassa o valor total da dívida dos países europeus, africanos e asiáticos; comparada com as fraudes cometidas por Wall Street a fraude grega é um truque mal feito por falta de prática – passaram despercebidos e o mesmo aconteceu com as estratégias e decisões por parte de actores muito poderosos com vista a obter um resultado bem identificado: o empobrecimento geral dos habitantes do planeta e o enriquecimento sem sentido de uns poucos senhores neo-feudais apostados em livrarem-se dos dois obstáculos que o século passado pôs no seu caminho desvairado: os movimentos sociais e o Estado democrático (a eliminação do terceiro obstáculo, o comunismo, fora-lhes oferecida pelos arautos do “fim da história”). A tragédia grega veio revelar tudo isso.

Ah, os senhores feudais, que o Boaventura sabe bem quem são, andaram a engendrar o esquema todo da dívida dos países do sul da Europa para empobrecer o mundo para se livrarem dos comunistas. Porque os EUA têm uma dívida muito maior e como são os senhores neo-feudais amigos do Boaventura que decidem quem é que tem uma dívida grande e um dívida pequena, eles armaram logo este esquema mas, logo a seguir, telefonaram ao Boaventura a dizer o esquema. Eles sabiam que mesmo que o fizessem às escondidas, o Boaventura ia topá-los porque tem olho para estas coisas…

A não perder, um fantástico artigo de Boaventura Sousa Santos sobre a forma como os senhores neo-feudais do mundo tentam manter os outros pobres, ou como ainda há quem consiga ser demasiado ridículo.

(obrigado, camarada do fastio)

Anúncios

Sobre Tonibler

Um vintém será sempre um vintém, um cretino será sempre um cretino
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

30 respostas a Se o ridículo matasse…

  1. O camarada dá ênfase ao acessório, deixando o substantivo de lado.
    Hoje já não dá para escrever nada de jeito, amanhã dou uma resposta com base no artigo do Boaventura.

  2. Tonibler diz:

    Qual substantivo???? Ou acreditamos que o Boaventura é Deus e conhece os esquemas todos ou é simplesmente um ridículo troca-tintas

  3. O poder das teorias neoliberais é tal que todos aqueles que as perfilham não se dão conta do facto.

    O bloco do Leste ou os Países da Cortina de Ferro tinham no mundo um efeito controlador, até ai o grande capital nunca foi além do inadmissível. A queda do sistema Comunista precipitou o capitalismo para este “galopar” neoliberal, o que pretendem os adeptos do neoliberalismo económico? Menos regulação, relações de trabalho sem controlo efectivo dos estados, a queda de uma das bandeiras europeias, O Estado Social associado a medidas efectivas de controlo da vida privada por parte do sector financeiro, tudo o que é privado é bom tudo o que é publico não presta.

    Viver em democracia num estado que não regula, que não tem poder sobre o sector financeiro é viver em ditadura dentro da democracia, as leis do trabalho, por imposição desse mesmo sector financeiro, cada vez são mais precárias, as condições de trabalho são cada vez menores, mais horas de trabalho que não são pagas como horas extraordinárias, aliás nem pagas a singelo e horários completamente desregulados, tudo isto por pouco mais de uma tigela de arroz.

    Todos nós estamos lembrados daqueles que vieram pedir o abaixamento do ordenado mínimo nacional, a resposta do estado foi peremptória, NÃO! No entanto hoje em dia pagam-se ordenados abaixo do mínimo permitido por lei, e são grandes empresas a fazerem-no, uma delas do sector da distribuição alimentar, aliás Belmiro de Azevedo disse-o nos Prós e Contras que as relações que ele cumpria era aquilo que directamente combinava (impunha) com o trabalhador, esta é outra das bandeiras do neoliberalismo económico, relações negociadas individualmente com os trabalhadores, “dividir para reinar”.

    Camarada Tonibler

    Se ler bem o texto de Boaventura de Sousa Santos vai encontrar uma parte acessória, mais electiva e menos consequente, e outra parte esta mais consequente pois mexe com a vida das pessoas, das pessoas que não têm poder para decidir o seu, delas, futuro, é a essa parte do texto que me refiro mas que o camarada por ele passou como quem passa por “vinha vindimada”.

  4. Tonibler diz:

    Camarada Elisiário,

    Tem dados que suportem alguma das frases que transcreveu? Por exemplo “O bloco do Leste ou os Países da Cortina de Ferro tinham no mundo um efeito controlador, até ai o grande capital nunca foi além do inadmissível” significa o quê, na vida das pessoas? Isto é uma frase da treta que confunde questões militares com questões sociais, usando uma mera percepção pessoal difusa. Nos países de mercado livre, como os EUA ou a Alemanha, a lei das relações de trabalho é muito mais protectora que as existentes nos países de Leste que eram…ZERO! Portanto, esta conversa é uma merda sem razão de ser e só peguei na primeira frase, podia ter pegado em qualquer outra.

    A expressão “Estado Social” não existia antes da queda do muro, foi algo inventado pelos partidos de esquerda depois da queda do muro. O “Estado Providência” a expressão usada relativamente aos países nórdicos CAPITALISTAS era considerada uma barbaridade.

    Este texto não tem ponta que se lhe pegue, nada. Tem dados que aguente qualquer destas frases? Uma qualquer?

  5. A simples observação camarada, nem tudo na vida é matemática em que 2 + 2 são 4.

    O Bloco Comunista não era só militar, era também ideológico e económico, embora as condições de trabalho, sabemos hoje esse facto, não fossem boas, no entanto a existência de tal bloco era dissuasor para os sectores mais liberais do ocidente, as relações do capital e do trabalho eram cuidadas e tidas em conta.

    Os EUA não têm leis de trabalho efectivas, o que existe são regulamentos laborais mínimos, é um mercado livre e paga-se aquilo que se quer pelo trabalho, está na mão do trabalhador aceitar ou não, na Alemanha, aliás na Europa as relações de trabalho existem, mas já há quem as questione, como o camarada muito bem sabe, e já se deram passos grandes no sentido de acabar com elas.

    O camarada regula-se muito por aquilo que sabe do seu sector de actividade, onde existe uma grande concentração de trabalhadores especializados e onde os melhores ganham, e bem, muito acima da média, e onde as relações de trabalho são acordadas e quase sempre cumpridas, só que o mundo não é feito por empresas das TI é também feito por outros sectores de actividade onde não existe trabalho especializado e onde as relações de trabalho não são acordadas mas sim impostas e que muitas das vezes não são cumpridas, poderia dar-lhe aqui vários exemplos que existem hoje e não existiam há 20 anos.

    A queda do Bloco Comunista foi o que de pior poderia acontecer à sociedade ocidental, pelo mero facto de se ficar a saber qual era a real dimensão das relações de trabalho nesse bloco, já no aspecto puramente económico ninguém conhecia a real dimensão económica dos países do leste, tudo era artificial mas não era conhecido, com a queda tudo ficou claro.

    O neoliberalismo deu cabo da economia mundial e por este caminho vai continuar.

  6. Tonibler diz:

    Camarada Elisiário,

    Ainda assim os trabalhadores americanos são os mais protegidos do mundo.

    Não. Eu não me regulo pelo meu sector de actividade, até porque tenho vários. O neoliberalismo não deu cabo de nada porque o neoliberalismo não é nada. Pode ser para quem chupa dinheiro ao contribuinte a dar aulas de filosofia da treta, mas na realidade não é nada.

  7. Claro que são… não têm direitos! ou têm… direito a pagar a saúde o ensino pagam para aqueles fundos de pensões que volta e meia vão à falência e eles vão-se agarrar ao caralho e ficam a “bater” pivias até “baterem” a bota.

    Essa do neoliberalismo não existir, é piada ou é um estratagema novo dos neoliberais negarem as evidencias?

  8. Tonibler diz:

    Claro que não existe. O que existe é o certo e o errado. Neoliberalismo é sonho molhado. Quanto ao trabalhadores americanos, é chato serem os mais ricos do mundo, mas isso deve ser por causa dos amigos do Boaventura…

  9. A pobreza nos EUA era no ano de 2008 de 15%, existem no entanto 45 milhões de americanos que não possuem seguro de doença e que não são considerados pobres o que corresponde a mais 15,6%, ou seja, mais de 30% da população americana ou é pobre ou não sendo considerada pobre não tem condições para pagar seguros de doença, este é o Pais que o camarada diz que os trabalhadores são dos mais ricos.

  10. do fastio diz:

    Camarada Toni, ou muda de assunto, ou critica o tipo de letra do artigo ou outro acessório, senão continua a levar pancada.
    O camarada Elisiário apanhou bem a essência do artigo. Tem anos, a última vez que disse ao camarada Toni que a vida não pode ser ‘lida’ só com a matemática.

  11. Tonibler diz:

    Por matemática quer dizer lógica é isso?

  12. do fastio diz:

    Logicamente que nem só a matemática tem lógica. E a lógica social tem outra lógica.

  13. Tonibler diz:

    Óptimo. Então em vez de dizer que a vida não é só matemática, pode juntar-lhe alguma lógica na argumentação ou, pelo menos, mais que dizer que alguém é ultraliberal para justificar alguma coisa. Porque não justifica.

  14. do fastio diz:

    Basta subescrever a argumentação do camarada Elisiário neste post. Dizer que os trabalhadores americanos são os mais ricos do mundo é um excelente exemplo do que é ver o mundo através dos numeros. Faz lembrar a alegoria dos dois irmãos, em que um come um frango e o outro nada, mas em média cada um comeu metade.

  15. Tonibler diz:

    Pois, mas também têm a taxa de desemprego mais baixa…Deve ser porque o frango americano é mais pequenino…Ora, deixem-se lá de folclore!

  16. Tonibler diz:

    Agora está mais alta, deve andar nos 7%. Habitualmente está abaixo dos 4%. Claro, nada que se compare com a fantástica Europa do Sul…

  17. Tonibler diz:

    Hoje, porquê? É que os EUA estão em crescimento económico, nós é que não… Qual é a nossa? E a da Espanha? E a da Grécia?

  18. Tonibler diz:

    A dos EUA é de 9,3%, é inferior à nossa. O que prova que o frango, afinal, é mais distribuído que o nosso. Podemos voltar à questão dos trabalhadores americanos serem mais ricos que os trabalhadores europeus?????

  19. Pois Portugal também e o desemprego vai crescendo, ver AQUI e AQUI e AQUI.

    O que demonstra que esta crise é atípica.

  20. do fastio diz:

    Afinal os nossos numeros competem com os dos trabalhadores mais ricos do mundo??? Estamos melhor do que eu pensava. Coitados dos noruegueses que nem devem entrar neste campeonato…

  21. Eu não entendo nada de economia e finanças as minhas apreciações podem ser erradas, mas parece-me que esta crise é financeira e não económica, o que existe é falta de capital disponivel na mão daqueles que fazem na realidade girar a economia, pois ele está todo na mão dos especuladores.

    No entanto existem “oásis” que fazem com que os números sejam animadores ou então estão a enganar-nos.

    Desta minha apreciação nasce a ideia de se taxar as mais valias bolsistas e sobre as grandes fortunas, aliás como se faz nos países do Norte da Europa, esses países não podem só servir para comparar o crescimento económico e níveis de vida.

  22. Luis Morais diz:

    Então é assim.
    Ou o Boaventura é um nabo ou vocês não percebem nada disto, aquilo que o homem diz parece-me correcto, aliás se visitarem a página pessoal do gajo vão ler autênticos tratados de economia, já em 2008 o gajo previa esta cegada toda, vão lá e leiam.

  23. Agora compreendo porque o camarada Tonibler baseia os seus comentários nos frangos, é uma homenagem ao novo guarda-redes do Benfica…
    Hé hé hé hé!!!!

  24. Tonibler diz:

    Camarada Fastio,

    Se conseguir tirar o petróleo aos noruegueses…

    Só puxei do desemprego porque o camarada fastio sugeriu que a riqueza não era distribuída.

    Camarada Elisiário,

    Tenha dó de mim…Não repita as desculpas dos ladrões que gerem o nosso dinheiro.

  25. do fastio diz:

    Camarada Tonibler, se vamos por aí, podemos também tirar também o petróleo aos americanos (bem, isso eles resolviam, invadindo o Irão) até chegarmos ao ”se a minha avó tivesse rodas era uma bicicleta”. Podiamos tirar também aos americanos os financiamentos (licitos?) como o que fizeram na Irlanda à campanha pelo ‘Não ao Tratado de Lisboa.

  26. Tonibler diz:

    Mau, mas não são os neoliberais americanos que sem a pressão do movimento comunista internacional estão a empobrecer os países da Europa do Sul? É que os americanos são para aqui chamados, os noruegueses não. Se calhar por solidariedade entre os produtores de petróleo, os neoliberais não empobrecem os países do norte da Europa…

  27. do fastio diz:

    ‘Solidariedade’ nem faz parte desse dicionário

  28. Tonibler diz:

    Mas porque é que os neoliberais norte americanos ao serviço da economia de casino não empobrecem os países do norte da Europa??

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s