Inquietação

A degradação do sistema traz sempre consigo políticos medíocres.

Rui Rio

Esta crise política que os principais partidos do regime assinalam aos dias pares, embora aos dias ímpares venham dizer precisamente o contrário, não vai fazer cair governo nenhum, em primeiro porque o PSD não quer governar com este cenário macro económico, em segundo porque não está preparado para o efeito, em terceiro porque não tem condições internas para isso.

Mas não é isso que aqui me traz. Num cenário hipotético de eleições antecipadas em quem votar? Porquê votar num dos partidos que se apresentam a sufrágio? Ou, porquê votar útil (?) num dos partidos que até aos dias de hoje nos tem governado? Ou melhor, qual o significado de democracia? Ou será que o significado também se degradou com o avançar do tempo?

O que quer dizer a expressão tão usada democracias modernas? O que as diferencia das democracias antigas? Quais os direitos que um cidadão tem ao votar num pais que pertence às democracias modernas? E se Portugal pertencesse às democracias antigas quais os direitos que esse mesmo cidadão teria?

Nas democracias modernas será que o único direito que temos é o dever de ir votar? E vai votar para quê? Para cumprir um dever? E o que ganha em troca? Algum direito?

As campanhas eleitorais é o período onde hipocritamente os partidos falam ao coração dos eleitores, porque não passamos de eleitores, desenganem-se aqueles que pensam que somos cidadãos, cidadão tem direitos que não cessam após o acto eleitoral, já eleitor só tem o dever de votar, votou? Cumpriu o dever.

Toda esta inquietação me leva a não querer ser eleitor, já que não me reconhecem os direitos de cidadão também não lhes vou dar o gozo de me tratarem por eleitor.

Anúncios

Sobre Elisiário Figueiredo

Camaradas...! Eh, camaradas...! ouvi, Que vou dizer-vos quem sois, Pois vou dizer-vos quem sou.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

5 respostas a Inquietação

  1. Caro Elisiário, você tem razão. Apenas se esquece de referir a singularidade do caso português: “não se governam, nem se deixam governar”

  2. …acho que é dai que vem a inquietação…ou será que é a inquietação que nos leva ai ?

  3. Reis Soares

    Não se governam???? é o que eles fazem melhor.

    A minha inquietação é mais uma desilusão no sistema, votar em mais no mesmo? Para quê? Votar em quem só nos considera eleitores? Para mim chega.

    • Ana A. diz:

      Não esperava tanto desalento do caro Elisiário! Também eu me sinto assim. Tinha esperança de ver surgir uma movimentação por parte das pessoas esclarecidas deste País, para que deixássemos de ser apenas eleitores, mas parece que essa movimentação irá surgir, muito em breve, não dos “esclarecidos” mas dos esfomeados e desabrigados que estão a ser paridos todos os dias…

  4. Caro Elisiário, a culpa não é deles, que sim estou de acordo que se sabem governar, mas de todos nós que passivamente os aceitamos e os vamos elegendo eleição atrás de eleição. Já aqui o tenho dito e nunca me parecerá demais voltar a faze-lo: o município com mais elevado grau de instrução do país, Oeiras, elegeu para seu presidente um senhor a quem se provou que roubou o dinheiro de casa um.
    Não se governam nem se deixam governar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s