Alma gémea de MFL

Mário Soares diz que Portugal tem de resolver défice e endividamento externo para não cair a pique

PS: mas…não era este sr. que dizia que o dinheiro não é importante ? agora depois de velho é que lhe deu para isto ?

Sobre Reis Soares

eu é que sou o Reis Soares
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

22 respostas a Alma gémea de MFL

  1. Qual a razão que leva a imprensa a ouvir o Sr.FMI? Que sabe este homem sobre economia? Nada.

    • Não é que eu não esteja de acordo que o dito senhor deveria estar calado, mas essa de perceber ou não de economia há muito deixou de ser argumento, os economistas são aqueles que têm dito os maiores disparates acerca desta crise que só vai acabar quando derem por terminado o ciclo económico capitalista.

      • Determinados economistas, porque os que possuem carácter e inteligência imaculada, digamos assim, são espezinhados por determinados partidos em Portugal e esquecidos por sectores importantes da comunicação social.

        A imprensa portuguesa não possui qualquer critério: entrevista qualquer um que tenha roubado Portugal nos últimos 30 e tal anos.

        Seja como for, Mário Soares é um dinossauro da política; o seu tempo, felizmente para mim, acabou.

        Os outros, que a Elisa menciona, podem não saber, mas deixo a dúvida no ar. Este, garanto-lhe, não sabe.

  2. Tonibler diz:

    Ciclo económico capitalista??

  3. Elisiário, grandes novidades…não me diga que também aqui iremos ter uma Republica Bolivariana…bom, na verdade já não nos falta tudo, o tangas da televisão já temos!

  4. Reis Soares

    Não necessariamente, até pode nem ser socialista ou socializante, uma coisa é certa a economia capitalista tem os dias contados.

  5. Sem duvida que o conceito se está a expandir: depois do Hugo Chavez, Ahmadinejad, Mario Soares…agora vem você!

  6. Tonibler diz:

    todos os “ismos” têm os dias contados.

  7. Insurrecto Meditativo

    Não existem economistas imaculados, têm todos conceitos económicos aprendidos e dados como verdades insofismáveis, e não é bem assim.

  8. Tonibler diz:

    Existem, as pessoas é que insistem em acreditar nos outros. E mesmo que não existam, isso é mais uma razão para não meter dinheiro na mão deles, certo? É por isso que o socialismo, além de ruinoso, é estúpido.

  9. Sérgio Pinto diz:

    Bem, desejavelmente aprenderam mesmo economia. Caso contrário, ter-se-ia o triste espectáculo, já verificado anteriormente, de gente inteligente que, por o ser, acha que qualquer bitaite que mandem sobre economia faz todo o sentido, quando na verdade estão a ressuscitar asneiras há muito enterradas (aconteceu com o James Hansen, fisico, mas se quiseres exemplos mais próximos podes pegar no Nuno Crato, matemático).

    Ah, e olha que há por aí matemáticos que se encostaram às correntes pós-keynesianas que tu adoras. Cientistas não sérios, porventura?

    P.S. Mas ainda não deste exemplos concretos desses ‘imaculados’ para quem nos deveríamos virar para aprender economia…

    • Tonibler diz:

      Para aprender Economia? Não há. Sobre economia, e escusas de apresentar os exemplos negativos atendendo que procuramos exemplos positivos, podes pensar no Jean-Philippe Bouchaud, por exemplo, que mete o dinheiro dele nas paridas. Mas há dezenas de outros.

  10. Sérgio Pinto diz:

    Apresentei exemplos negativos porque tu costumas fazer questão de polarizar entre os de economia, ‘invariavelmente calhaus’, e os outros, apresentados como ‘imaculados’.

    O Bouchaud é de finanças. Que possam dizer algo de relevante sobre macroeconomia/política macroeconómica (por exemplo), quem são os ‘imaculados’?

  11. Tonibler diz:

    É igual. Esse tipo de separação só faz sentido para os de Economia, não para os que estudam a economia. Dinheiro é trabalho “enlatado” pelo que não faz sentido esse tipo de separação.

    Na sua formação, o Bouchaud é físico. Não quer dizer que esteja correcto em tudo o que diz mas é imaculado no sentido de ser cientificamente sério e meter o dinheiro dele naquilo que diz. Como Mandelbrot, Taleb, etc… Nenhum destes faz essa separação de finanças e/ou micro e/ou macro. Não há qualquer diferença entre fazer as coisas bem a nível de um estado ou fazer as coisas bem a nível de uma conta à ordem.

    • Sérgio Pinto diz:

      Não, faz sentido independentemente da área de onde se venha. Dito de outra forma, recua ao final de 2008, por exemplo, e imagina o que poderia o Bouchaud ter para dizer, de válido/útil, como política a implementar por um determinado estado. Ou mesmo agora, no fundo a diferença é pouca.

      Acho que foi do Taleb que já ouvi aquele blá blá sobre a dívida pública que o põe ao nível de um Medina Carreira. O que é uma pena (para o Taleb)… E que também serve para demonstrar que ser muito bom à frente um fundo de investimento não qualifica necessariamente ninguém para ‘gerir’ um país.

      E o que defines como ser ‘cientificamente sério’? Basta pôr o dinheiro no que se diz/acredita? Os da LTCM também “puseram”…

  12. Tonibler diz:

    Sim, puseram. Ao contrário do Teixeira dos Santos que põe o meu sem pôr o dele.

    Claro que faz sentido. Aliás é a única coisa que faz sentido. Economia é um sistema livre de escala (isto tem um significado matemático de que não interessa o zoom que fazes). Demonstra-se matematicamente baseado nos princípios básicos da micro, das razões da existência da economia e o comportamento dos mercados (independentemente do instrumento) revelam isso.

    Com base nisto tira-se tudo o que é necessário fazer em termos de dívida pública, investimento público, subsidiação, etc…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s